Alvo como a neve: Mitos e Verdades sobre o Clareamento Dental

Tempo de leitura: 4 minutos

Normalmente, com o passar dos anos, os dentes escurecem ou ficam amarelados, e isto ocorre devido ao desgaste normal que o esmalte sofre, e mesmo quando mais jovens, nossos dentes não são totalmente brancos, este branco que todos sonham em alcançar através do clareamento dental.

Além do desgaste natural, o consumo de bebidas e de alimentos que possuem uma coloração mais forte, contribui e muito para o escurecimento dos dentes. São conhecidos como vilões os seguintes alimentos: café, refrigerante, vinho, beterraba, açaí. E não podemos esquecer que o consumo exagerado do cigarro prejudica e muito os dentes em todos os níveis. Alguns alimentos mais ácidos, como o limão ou o abacaxi, também podem manchar os dentes, pois a partir do momento que a boca se torna um ambiente ácido, ela potencializa o efeito de pigmentação, pois desgasta mais o esmalte dos dentes, então o ideal é evitar comer ou beber algo de coloração mais forte logo após comer um ácido por exemplo. Mas lembrando que esta sequência só não pode ser consumida com frequência.

É possível retardar um pouco este escurecimento dos dentes com os cuidados de higiene bucal necessários no nosso dia a dia. Escovar os dentes sempre que comer um alimento de pigmentação mais forte e passar o fio dental para retirar a placa bacteriana que tende a se formar ali, faz com que o dente se livre das manchas por um tempo mais prolongado.

Citamos acima alguns alimentos que podem alterar a pigmentação dos dentes, mas existem os que possuem efeito de detergente, por ajudarem na limpeza dos mesmos: Maçã, pera, pepino, são alguns deles.

Mas se, mesmo tomado todos estes cuidados, seus dentes insistem em permanecer com uma coloração mais escura, chegou o momento de pensar sobre o clareamento dental.

Basicamente o clareamento funciona com a aplicação de um gel clareador que, ao entrar em contato com o dente elimina os pigmentos que os deixam amarelados. E ele quebra também as moléculas de pigmentos em partículas menores, para que haja maior reflexão de luz, e consequentemente dentes mais brancos. A concentração de ácidos no gel irá depender de cada situação, por isso o tratamento é feito de forma personalizada, considerando fatores como a cor atual dos dentes do paciente, cor/tonalidade que se pretende alcançar, sensibilidade dentária dentre outros.

O clareamento pode ser feito no consultório ou em casa. shutterstock_167843159Quando no consultório, após proteger a gengiva do paciente com um dique de borracha ou com um gel protetor que cobre o tecido gengival, o cirurgião dentista aplica o clareador e usa a luz ultravioleta do laser para potencializar a ação do elemento clareador. O laser, além de ser usado para ativar o agente clareador, pode também ser usado de forma terapêutica, para reduzir a sensibilidade dentária. Este tipo de clareamento é muito rápido, porque pode ser realizado com apenas uma ou duas sessões na clínica ou consultório.

Já no clareamento caseiro, o cirurgião dentista faz um molde da arcada dentária do paciente para confecção de uma moldeira que se ajusta perfeitamente aos seus dentes e escolhe o material clareador adequado. O paciente terá que usar o gel clareador na moldeira durante alguns dias, de acordo com a orientação do cirurgião dentista.

Agora listamos aqui alguns mitos e verdades sobre o clareamento:

1. Os dentes sempre ficam branquíssimos com o clareamento.

Mito. Os dentes ficarão mais claros, mas nem sempre ficarão branquíssimos, porque o clareamento não altera a cor do dente, ele devolve a cor original que foi se perdendo com o passar do tempo. Os dentes de cada pessoa possuem uma cor específica (matiz) e isto não muda no processo de clareamento.

2. É fundamental utilizar um creme dental para dentes sensíveis após o clareamento.

Verdade. O creme dental ajudará a controlar a sensibilidade que é normal de acontecer durante o processo de clareamento.

3. Outra opção para o clareamento é utilizar em casa o bicarbonato de sódio.

Mito. O bicarbonato possui efeito abrasivo e não clareador. Ele faz com que o dente se desmineralize. Muito arriscado pois é feito sem qualquer orientação de um profissional.

4. É possível queimar a gengiva durante o processo de clareamento.

Verdade. Os materiais clareadores são muito abrasivos e, por isto, se vazarem ou se forem usados por um tempo maior que o determinado  podem provocar queimaduras na gengiva e mucosas da boca. Por isto, é muito perigoso a utilização de materiais clareadores que se vendem em farmácias e drogarias sem a supervisão do cirurgião dentista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *